Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



GRAND PLACE, BRUXELAS, BÉLGICA

por mmsfr, em 05.01.12

Na fase de planeamento da nossa curta viagem á Bélgica (mais para ver os mercados de Natal) fomos ouvindo várias opiniões que diziam que Bruxelas não tinha grande interesse ("É feia" - ouvi até) e para nos centrarmos em Bruges e Ghent. Tenho cá para mim que não há cidades feias ou desinteressantes mas sim experiências dentro delas que marcam a nossa opinião. Bruxelas é uma cidade bonita, á sua maneira e a percepção de beleza vai da mão (e do olhar) de cada um.

A Grand Place é o seu principal cartão de visita e a prova de que a cidade consegue surpreender-nos. Talvez tenha sido o momento certo para visitá-la e as horas certas, primeiro foi de noite e depois durante o dia.

 

O espectáculo de luzes e música que iluminava a principal praça de Bruxelas criava um ambiente único e por um momento queríamos ter mais um dia (neste caso uma noite) para disfrutar vezes e vezes sem conta.

Era na fachada do Hôtel de Ville (a Câmara Municipal) que as luzes ganhavam mais vida tornando-a no foco de atenção de todos os que admiravam o espectáculo.  

 

 

Durante o dia é a trabalhada arquitectura dos seus edificios que a tornam digna de contemplação, estamos no coração de Bruxelas, aqui eram tomadas as decisões mais importantes, era o palco do comércio e do entretenimento da época dourada de Flandres.

Um dos mais importantes, o mesmo Hôtel de Ville com o seu imponente estilo gótico vive orgulhoso desde do século XV. A torre ao centro tem 96 metros de altura e no seu topo uma escultura do arcanjo Miguel a matar um demónio.

É ele o santo patrono de Bruxelas que pouco pode fazer no século XVII quando os franceses invadiram a cidade e destruiram uma boa parte da praça mas talvez tenha inspirado na sua reconstrução. 

O segundo edificio mais importante da praça está no lado oposto ao do Hôtel de Ville e é a Maison du Roi.

Apesar deste seu nome real nunca viveu ali nenhum rei e o seu nome original é Broodhuis, que significa Casa do Pão. Hoje funciona como museu da cidade onde podemos ver mais sobre a história de Bruxelas assim como uma exposição dos diferentes fatos usados pelo Manneken Pis. 

Mas são muitos os edificios que marcam a praça na realidade creio que todos são importantes, cada um ricamente ornamentado e com uma história diferente para contar. Conta também com alguns cafés e restaurantes que permitem disfrutar ainda mais da experiência de visitá-la.

Alguns foram a casa de importantes oficios desde o pasteleiro, ao padeiro, passando pelos açougueiros.

A espantosa fachada da Maison des Ducs de Brabant pode na realidade dividir-se em sete edificios diferentes, aliás as diferentes portas na fachada confirmam a independência dos mesmos. 

A nossa visita a Bruxelas não podia ter começado de melhor maneira. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:00


1 comentário

De Valeria Vilas Boas a 23.05.2013 às 23:35

Vejo que estivemos juntos no natal do ano passado!!!!!!!
A cada ano a cidade se enfeita nos esperando, nos os turistas, amo este local , e belíssimo!!!!
Devo te confessar que o natal de dois anos atrás os enfeites foram melhores....

Comentar post




Google Translator


Guia de Cidades


Quantos visitaram II


Pesquisa

Pesquisar no Blog  

Onde Vivemos




Flag Counter

Follow on Bloglovin

Mais sobre mim

foto do autor


calendário

Janeiro 2012

D S T Q Q S S
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031