Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



LEEDS, INGLATERRA

por mmsfr, em 15.08.11

Chegar até Leeds é um desafio, aterrámos em Manchester e alugámos um carro para chegar até lá. Demorámos uma hora o que não é muito e conseguimos sobreviver ao facto de se conduzir do outro lado da estrada, do outro lado do próprio carro, enfim...

Escolhemos a melhor semana para ir a Leeds a trabalho (aliás fomos a Birstall) porque foi justamente na semana passada ou seja, em plenos distúrbios em Londres e outras cidades inglesas, como a vizinha, Manchester. Surgiram rumores de que Leeds seria outra das cidades a ser atacada por grupos de delinquentes dispostos a tudo para roubar umas t-shirts de marca ou um LCD. Ainda assim saio do hotel, sozinha (os restantes preferiram descansar...) e vou explorar a cidade.

 

Estávamos no Hilton Leeds City Center, a poucos metros do centro e colado á estação. Começo a percorrer as ruas de Leeds e vejo que tudo está relativamente calmo, era dia de jogo da equipa local por isso todos estavam a sair do centro em direcção ao estádio. O único senão foi mesmo as lojas fechadas porque de resto estava um excelente dia para passear.

Começo pela Wellington Street onde vejo o impressionante edificio do The Queens Hotel, bastante bem guardado pelos policias que temiam actos de violência. Este hotel de 4 estrelas, totalmente remodelado foi construído em 1937.

Logo em frente o antigo edificio dos Correios na City Square, construído na era vitoriana respeitando o seu típico traçado arquitectónico. No piso térreo funciona um restaurante, onde ficámos de jantar mas por causa dos rumores acabaram por cancelar a mesa e muitos fecharam mais cedo.

Os correios instalaram-se noutro edificio da cidade e hoje é possível passar uma noite num dos 23 apartamentos do Residence 6, alojamento de luxo no coração de Leeds. 

Junto ao edificio está a estátua equestre de Eduardo, o Príncipe Negro.  

Começo a subir a Park Row e do meu lado direito vejo a Mill Hill Chapel, uma igreja unitarista com base nas religiões cristã e judaica.  

Continuo a subir a rua e de ambos os lados vejos restaurantes e pubs, algumas lojas e pouca gente.

Entro depois na The Headrow, a principal avenida da cidade que estava igualmente tranquila. Um dos primeiro edificios que vejo é o da Art Gallery, o museu de arte da cidade, que contém pinturas do século XIX e XX. 

 

Descendo a rua, atravessando a Calverley St. chegamos á Leeds Town Hall. Construída em 1858, também ela com o seu estilo vitoriano, funciona hoje em dia como cartório, utilizado essencialmente para celebrar casamentos e também alguns eventos oficiais, culturais ou musicais.

A rua estava relativamente tranquila e com pouco comércio aberto, decido voltar ao hotel. 

Saímos depois para jantar numa zona reabilitada que está junto ao rio Aire e ao fundo víamos o Bridgewater Place, um dos edificios mais altos da cidade que funciona tanto para escritórios como para habitação.

Jantámos num restaurante de rodizio brasileiro, o Fazenda. Os restantes queriam carne e depois de termos jantado no dia anterior num típico pub achámos por bem experimentar algo diferente, além de que para mim foi uma oportunidade de falar português num ambiente tão internacional, o nosso empregado era suiço, os que serviam a carne eram brasileiros e com os meus colegas tinha que falar espanhol. 

A zona tinha uma boa mistura de edificios antigos com novos.

Gostei de Leeds apesar de ter visto muito pouco, espero voltar com mais tempo.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:16




Google Translator


Guia de Cidades


Quantos visitaram II


Pesquisa

Pesquisar no Blog  

Onde Vivemos




Flag Counter

Follow on Bloglovin

Mais sobre mim

foto do autor


calendário

Agosto 2011

D S T Q Q S S
123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031