Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



CAFÉ MONTPARNASSE, PARIS, FRANÇA

por mmsfr, em 27.06.11

Fica na Praça 18 de Junho de 1940, muito próximo do hotel onde ficámos (Best Western Aramis) e foi o espaço perfeito para comermos sem grandes deslocações depois de um compensador, mas estafante dia, a passear pela cidade.

Na realidade até procurávamos um local onde comer algo mais simples, uma salada ou do género porque com tantos dias de "road trip" a comer muitas vezes pelo caminho ou a experimentar todo o tipo de delicias culinárias, queríamos algo mais "light". 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:47

LA PAMPA ARGENTINA, MAJADAHONDA, ESPANHA

por mmsfr, em 25.06.11

Quando estamos a fazer uma dieta que nos diz que podemos comer toda a carne que quisermos (sem acompanhamentos) o primeiro tipo de restaurante que nos vem á cabeça é a típica churrasqueira portuguesa. Ora como não estou em Portugal, quando se fala em boa carne na grelha, os famosos: "chuleton", "solomillo", "entrecot", então falamos normalmente de um restaurante de "parrilla" argentina.

Procurámos no bairro um, vi na internet boas críticas deste que fica a menos de dez minutos de carro além de ter uma esplanada o que nesta época quente sabe sempre melhor.  

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:50

PLACE DE LA CONCORDE, PARIS, FRANÇA

por mmsfr, em 25.06.11

Entrámos na maior praça de Paris de bicicleta e tivémos que fazer ali uma paragem para a contemplar.

Pensar que naquele mesmo espaço estava instalada a famosa guilhotina ("The Black Widow") que cortou as cabeças do Rei Luis XVI e de Marie Antoinette não deixa de ser arrepiante, no entanto hoje em dia nada faz adivinhar o seu passado.

No século XIX, o vice-rei do Egipto oferece o obelisco que hoje define a praça. Veio de Luxor do templo de Ramsés II e acabou por dissipar todas as dúvidas sobre o que fazer na Praça da Concórdia. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:47

BEST WESTERN ARAMIS, PARIS, FRANÇA

por mmsfr, em 25.06.11

Ao procurar por um hotel em Paris tínhamos dois requisitos: que fosse central mas que não fosse colado a nenhum dos principais monumentos da cidade. Apesar de tudo, queríamo alguma tranquilidade para chegar ao hotel.

Paris fazia parte do nosso roteiro da viagem de carro que estávamos a fazer, era a cidade mais importante a visitar e por isso decidimos não arriscar e marcar o hotel a partir da última cidade onde estivémos. Fomos ao Booking e o melhor preço que encontrámos para o que queríamos levou-nos ao Best Western Aramis que fica na zona de Saint-Germain. 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:02

VÉLIB PARIS, FRANÇA

por mmsfr, em 24.06.11

O que sempre invejei em algumas cidades europeias, o facto de quem lá vive circular por elas de bicicleta. Mas Lisboa tem o seu traçado único, não lhe chamam a cidade das 7 colinas porque lhe fica bem mas sim porque de facto, há umas boas subidas (e descidas) e porque não foi trabalhada nesse sentido.

Quando visitámos Paris e vimos o sistema Vélib percebemos que tínhamos ali a nossa oportunidade ainda que por um ou dois dias de viver essa experiência de nos deslocarmos pela cidade com esse meio de transporte, mais saudável e menos poluente.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:23

SALÓN DE TÉ, CÓRDOBA, ESPANHA

por mmsfr, em 23.06.11

Passeando pela "Judería", encontro alguns bares com placas a dizer "teterias". Para um português a palavra deixa algumas dúvidas sobre o que realmente se vende ali, mas são apenas casas de chá.

Já tinha visto esta de manhã, o Salón de Té e depois de almoço, quando o calor apertava os nosso amigos espanhóis recomendaram-nos entrar. Podíamos ter ido a uma gelataria, é um facto mas estes salões são algo mais típico, uma herança da presença árabe pelo sul de Espanha e na realidade, um bom chá fresquinho sabe tão bem quanto um gelado (pelo menos para mim).

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:48

CASTELO DE CHENONCEAU - EXTERIOR, FRANÇA

por mmsfr, em 23.06.11

O Castelo de Chenonceau é também conhecido pelo Castelo das Damas, já que grandes mulheres da aristocracia francesa aqui viveram.

Construído sobre o rio Cher e no centro de uma grande floresta, o Castelo foi reconstruído no século XVI, mudando o seu estilo medieval para o renascentista.

A entrada para visitar o Castelo custa 10,50€ e podemos escolher um guia (gratuito) nos idiomas disponíveis, português era um deles felizmente. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:48

Pág. 1/3




Google Translator


Guia de Cidades


Quantos visitaram II


Pesquisa

Pesquisar no Blog  

Onde Vivemos




Flag Counter

Follow on Bloglovin

Mais sobre mim

foto do autor


calendário

Junho 2011

D S T Q Q S S
1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930