Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



TOMAR, PORTUGAL

por mmsfr, em 31.01.10

Hoje conhecemos...Tomar.

O nosso dia começa no restaurante "A Lúria", fica em São Pedro de Tomar e é bastante conhecido. Tiro tantas fotografias e foi uma falha grave da minha parte não ter tirado ao interior do restaurante mas sobretudo á comida.

De entradas pedimos um queijo gratinado e um prato de enchidos, desde já recomendo ambos, mas o primeiro é a meu ver obrigatório, estava uma delicia.

Depois de pratos principais comemos cabrito e polvo com milhas, ambos muito bons também, já não houve foi muito espaço para sobremesa. O preço é bastante acessível por isso ficámos muito satisfeitos e recomendamos sem dúvida.

De barriga cheia já estávamos preparados para conhecer um pouco melhor Tomar. Já tinha estado antes a visitar com os meus pais, creio que há uns dez anos atrás e há uns cinco para uma despedida de solteira que me ajudou a conhecer ainda melhor a cidade porque tínhamos uma actividade de peddy paper.

O nosso principal objectivo era conhecer o Castelo e o Convento de Cristo, que está classificado pela UNESCO com Património Mundial.

Quando chegamos o que vemos primeiro são as muralhas do Castelo medieval construído pela Ordem dos Templários.

Dentro das muralhas do Castelo encontramos o Convento de Cristo, também ele fundado pela Ordem dos Templários e pelo o seu Grão-Mestre, Gualdim Pais.

Entrámos para fazer uma visita e se por fora já parece fantástico, por dentro e apesar de estar meio "despido" dá realmente para entender a sua função e imaginá-lo com os monges e os templários da Ordem de Cristo a viverem o seu dia-á-dia.

Recomendo a sua visita e realço aqui alguns dos espaços que mais gostei dentro do Convento.

O primeiro foi um dos Claustros, o Grande Claustro mais precisamente. Pareceu-me mais "rico" que os restantes que vi e até de outros monumentos que os têm, dizem que a sua construção tem influência na arquitectura italiana e gostei muito das escadas em caracol. Imagino a quantidade de assuntos importantes que foram discutidos a caminhar por este belo Claustro.

 

Vimos também a Charola, ficámos algum tempo a contemplá-la. Era aqui que os templários rezavam, aliás é conhecida como o Oratório dos Templários. Neste ponto estamos também no ponto central do Convento, o que sem dúvida marca ainda mais a sua importância.

Creio que foi restaurada há pouco tempo. Fui ver a definição de Charola, diz que é um local para deambular ou andar á volta de um ponto central, faz sentido principalmente quando conhecemos esta. Ao centro estão oito colunas ornamentadas e com santos dispostos em quatro delas, dizem que os templários a construiram com base na Igreja do Santo Sepulcro de Jerusalém.

Podemos então deambular á volta do tambor central e verificar que por fora há também alguns frescos e pinturas grande parte de referências biblicas, assim como o brasão de Portugal.

Também as suas decorações douradas são um forte indicador da riqueza da Ordem.

 

Mas se o Convento por dentro encanta, por fora então eu acho igualmente único. Esta fachada que vemos aqui de estilo Manuelino é rica em pormenores que se fosse a definir todos creio que daria umas boas páginas neste post e teria mais um dia de visita sem dúvida. Há muita história só aqui nesta fachada.

Um dos exemplos é esta Janela da Sala do Capítulo. A ornamentação desta janela tem como base a expansão dos portugueses fora do nossa país, ou seja, nos Descobrimentos. Podemos ver os globos nas laterais e no topo está a Cruz que era um símbolo dos Templários.

A Sala do Capítulo funcionava no fundo como uma Assembleia, era onde se reunião para a tomada de decisões ou discussão de assuntos religiosos e do reino.

Outro pormenor que eu gostei da fachada foi o cinto, não consigo explicar o seu significado e ainda pesquisei um pouco na web sobre o assunto mas descobri muito pouco, a verdade é que é um pormenor fantástico e que acaba por ser menos protagonista que a Janela.

Depois vimos a Casa do Capítulo que foi deixada assim, incompleta. Aqui realizaram-se as Cortes de Tomar no século XVI, por esta altura Portugal tinha perdido a sua independência e era governada por Filipe II de Espanha, Filipe I de Portugal. Naquilo que parece ser um segundo piso temos um Arco de um altar.

Descemos depois do Convento e do Castelo para o centro de Tomar. Aqui encontramos a sua principal Praça da República onde temos o edificio da Câmara Municipal de Tomar e a estátua de Gualdim Pais, o fundador de Tomar, um cruzado que lutou ao lado do primeiro Rei de Portugal, D. Afonso Henriques.

Na Praça e na zona oposta ao edificio da Câmara Municipal está em Igreja de São João Baptista.

A porta segue o estilo manuelino que vimos também no Convento e com referência aos Descobrimentos.

Seguimos depois pela Rua Serpa Pinto, uma das mais agitadas ruas de Tomar primeiro porque é pedestre e depois porque tem bastante comércio. Passamos depois a estrada para os jardins da cidade e ainda assistimos a um jogo de futebol feminino.

Vemos o Rio Nabão que banha a cidade e também a Ponte Romana, um dos locais mais emblemáticos da cidade.

Tomar, é uma daquelas cidades a visitar várias vezes.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:39


1 comentário

De Tomar Portugal a 16.02.2012 às 10:13

Excelente!

Continuo a achar o Convento de Cristo um dos mais espectaculares monumentos portugueses.

Comentar post




Guia de Cidades


Pesquisa

Pesquisar no Blog  

Onde Vivemos




Mais sobre mim

foto do autor


calendário

Janeiro 2010

D S T Q Q S S
12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31